AVISOS da SEMANA

Todas as segundas-feiras – 19:00h – Intercessão.

21 a 28/08 – 1a. Viagem missionária Haiti (inscr. M.Ioná)

23/08 - qui - 20h - Teatro no culto

31/08 - sex - 20h - RCA - Rede de Casais

15/09 - sáb - 10h - Capacitação Diaconal

01/09 - sáb - 9h - Seminário de Dança

15/09 - sáb - 10h - RIA Treinamento da equipe

17/09 - seg - 20h - Noite do Empreendedor

21 a 23/09 - Encontro com Deus e Encontro de Santidade (R$ 175,00 - inscrições Dca. Eliane)

28/09 - sex - 20h - RCA Rede de Casais

06/10 - sáb - 19h30 - 16o. Aniversário Ig. Águas Mooca e Celebração de Festa de Tabernáculos

Postagens

Células nas casas - confira a mais próxima de você.

. 2ª feira......... 19h Culto de Intercessão
20h15.. Escolas Líderes e Teológica
. 5ª feira ........ 20h.... Culto

. 6ª feira ....... 20h ... Rd da Família (confira agenda)
. 6ª feira ....... 20h ... Rd adolescentes(confira agenda)
. Sábados...... 19h30.. Rd de Jovens (confira agenda)
. Domingos... 16h45... Pós Encontro e Esc. de Líderes
. Domingos... 10h e 18h..... Culto de Celebração

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Fazer a vontade de Deus nos leva a conquistar territórios

Fazer a vontade de Deus nos leva a conquistar novos territórios.
“Enquanto isso, os discípulos pediam a Jesus dizendo: - Mestre, coma! Mas ele lhes disse: - Tenho para comer uma comida que vocês não conhecem. Então os discípulos começaram a dizer entre si: - Será que alguém lhe trouxe algo para comer? Jesus declarou: - A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra. Vocês não dizem que ainda faltam quatro meses até a colheita? Eu, porém, lhes digo: Levantem os olhos e vejam os campos, pois estão maduros para a colheita. Quem colhe recebe desde já a recompensa e ajunta o seu fruto para a vida eterna, para que se alegrem ao mesmo tempo o que semeia e o que colhe. Pois, no caso, é verdadeiro o ditado: “Um é o que semeia, outro é o que colhe”. Eu os enviei a colher o que vocês não semearam; outros trabalharam, e vocês aproveitaram o trabalho deles.” João 4: 31-38
Esse é um assunto que não é novidade para nós, pois quando decidimos andar com Jesus e ser seus discípulos, uma das primeiras coisas que aprendemos é que a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável (Rm 12:2).
Somos seres completos,criados a imagem e semelhança de Deus. Temos nossos desejos, os nossos sonhos, as nossas vontades e claro nossas necessidades, e isso faz parte do que somos. Essas coisas nos impulsionam nos motiva, essas coisas fazem com que a gente trabalhe buscando sempre o melhor para nós e nossa família.
Quando algo foge do nosso controle, quando uma situação fica apertada e não conseguimos enxergar uma saída (pelo menos aos nossos olhos naturais), logo falamos “que seja feita a vontade de Deus”, porque entendemos que a vontade de Deus é melhor que a nossa. O problema está quando a nossa vontade entra em rota de colisão com a vontade de Deus.
Mas será que verdadeiramente estamos dispostos a nos submeter à vontade de Deus? Será que estamos verdadeiramente dispostos a abrir mão de nossas vontades, sonhos, desejos e até mesmo das nossas necessidades, para vivermos a vontade de Deus para nós?
A chamada de conquista de novos territórios é uma chamada Divina, pois ela fala em avançarmos sobre as geografias que o Senhor tem para nós. Fala em avançarmos sobre os territórios que Deus já tem preparado para Sua igreja, para o seu ministério, para a sua família, e nós estamos sendo ministrados nessa palavra, e é nítido que já enxergamos esse avanço sobre muitos aqui. Ninguém ficou estagnado, parado, mas todos abraçaram a causa e estão caminhando nesse decreto.
Mas para vivermos tudo isso que o Senhor já tem preparado para nós, precisamos muitas e muitas vezes abrir mão das nossas vontades, dos nossos sonhos, das nossas necessidades, para vivermos a vontade que Deus tem para nós, e passamos a sonhar os sonhos que Deus tem para nós.
Não existe conquista sem renúncia.
“Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é agradar aquele que o recrutou.” 2Tm 2:4
Quem é pai e mãe sabe como é agradável, prazeroso, e muitas vezes um alívio, quando um filho abandona sua vontade de fazer algo, e decide fazer aquilo que o pai e a mãe propõepara fazer.
Em sua empresa, você sabe que tem uma tarefa que foi designada pelo seu chefe, para ser realizada. Se você se empenhar, der o máximo de si nesse projeto, e fizer tudo, para que essa tarefa saia conforme o seu chefe lhe pediu, certamente isso será agradável a ele, e certamente você será reconhecido e poderá ser promovido, por conta de seu trabalho. Agora se o oposto acontecer, ou seja, você fizer somente o que você tem vontade, ou não se dedicar completamente àquilo que você tem que fazer, certamente você também será reconhecido no próximo corte da empresa.
Assim foi Jesus. Quando ele estava no Getsêmani, na última noite antes de ser crucificado, Jesus renuncia a sua própria vontade, em detrimento da vontade Deus. A Bíblia diz que o nível de stress de Jesus era tão alto, que Ele suou gotas de sangue, mas ali naquele momento Jesus, definitivamente resolve seguir com os planos do Pai, e partir para o outro nível conquista, de tudo aquilo que lhe foi proposto, a cruz (Lc 22:41-44).
Talvez você esteja pensando aí, “mas Jesus é o Filho de Deus, Jesus é Deus”, e eu te digo sim você tem razão, mas ao mesmo tempo em que Jesus era 100% Deus, ele também era 100% homem, obviamente, sujeito aos mesmos sentimentos e pensamentos que eu e você. A diferença é que Jesus conhecia todos os planos do Pai para ele e para a humanidade, e o que iria significar uma desistência naquele momento.
Quando Jesus abre mão da sua vontade, para que a vontade de Deus fosse feita na vida dele, mesmo sabendo que iria ser dolorido, que iria sofrer, e que o final desse estágio seria sua morte, ele da inicio ao plano de salvação que havia sido projetado, preparado pelo Senhor. Se estamos aqui hoje, celebrando, adorando a Deus, foi porque Jesus decidiu abrir mão de sua vontade.
Você conhece a vontade de Deus para a sua vida?
Livre-se do que atrapalha a sua conquista
“Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruzdesprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus. Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem desanimem.” Hb12:1-3
No texto que iniciamos o culto Jesus diz que o seu alimento era fazer a vontade de Deus, e logo depois ele fala sobre a colheita que era proposta.
Eu creio que os campos já estão brancos e que temos uma colheita extraordinária para fazer ainda esse ano. Creio que o Senhor quer acrescentar muitas vidas nesse lugar através da sua vidamuita gente para acrescentar na sua célula, e que no meio dessas vidas estarão os seus 12, as suas gerações. Eu creio que você tem muito para crescer profissionalmente ainda este ano.
Mas como o Ap Paulo disse precisamos nos livrar daquilo que nos atrapalha para corrermos a corrida que nos é proposta.
Quando nos livramos daquilo que nos atrapalha e decidimos fazer a vontade de Deus, vamos colher até mesmo aquilo que não semeamos (v38). Ou como disse Ap Paulo no versículo 6 de 2Tm 2 “O lavrador que trabalha arduamente de ser o primeiro a participar do frutos da colheita.” Que tremendo, isso quer dizer que não só você irá experimentar dos frutos desse decisão de viver a vontade, mas que outros também poderão comer desse fruto que você conquistou.
Que a partir de hoje você possa identificar tudo aquilo que atrapalha que a vontade de Deus seja estabelecida, e como bom soldado de Cristo, decida agradar Aquele que te escolheu e te tirou da trevas transportando para o reino do seu filho amado, para que você conquiste os territórios que lhe são propostos por Ele mesmo.
A sua decisão irá impactar gerações.

Deus lhe abençoe,
Pr. Kleber R Jacinto - Igreja Águas Mooca

Nenhum comentário: